DestaqueEducaçãoParaná

Universidades estaduais desenvolvem ações com os idosos durante a pandemia

Cerca de 2 mil pessoas participam. Em mais de um ano, foram ofertadas oficinas, palestras, cursos, e outras atividades, tudo de forma on-line e acessível para possibilitar a troca de experiências e conhecimentos, colaborando com um processo de envelhecimento mais saudável

Na semana em que se comemora o Dia dos Avós, celebrado nesta segunda-feira (26), atividades voltadas para esse público ganham destaque no Estado. É o caso das universidades estaduais do Paraná, que oferecem, por meio da Universidade Aberta para a Terceira Idade (Uati), a possibilidade de uma educação continuada associada a ações culturais e de lazer.

As atividades desenvolvidas no programa, em seis das universidades estaduais, estão voltadas para atender às necessidades da população idosa, proporcionando conhecimento e melhoria na qualidade de vida.

Desde o início da pandemia da Covid-19, foi necessário fazer adaptações para atender as mais de 2 mil pessoas que participam. Em mais de um ano, foram ofertadas oficinas, palestras, cursos, e outras atividades, tudo de forma on-line e acessível para possibilitar a troca de experiências e conhecimentos, além de colaborar com um processo de envelhecimento mais saudável.

De acordo com a coordenadora da Universidade Aberta à Terceira Idade, na Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro), Maria Regina Vargas, desde o inicio de 2020, esse público teve aulas remotas para fortalecer a prevenção ao novo coronavírus, além de exercícios teóricos de idiomas, informática e ciclo de palestras com profissionais da área da saúde (medicina, odontologia, psicologia, psicanálise).

“Houve constante preocupação com a motivação dos idosos, incentivando o isolamento social e a participação nas atividades oferecidas, como forma de superação das consequências deste isolamento”, destaca a coordenadora.

Ela ressaltou que também é motivada a participação dos grupos da terceira idade em campanhas solidárias. As “unatianas” confeccionam máscaras de TNT que são doadas para instituições. Até o momento foram entregues cerca de 15 mil máscaras.

Na Universidade Estadual do Paraná (Unespar) as ações também ocorrem de forma remota. As aulas têm como foco os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) elencados pela Organização das Nações Unidas. “A cada mês um dos ODS entra em discussão, com palestras e atividades que buscam atender às metas do objetivo”, destaca o coordenador da Unati no campus de Paranaguá, Sebastião Cavalcanti Neto.

O atendimento ocorre de forma semelhante na Universidade Estadual de Londrina (UEL), na qual há a oferta de oficinas temáticas e outras atividades realizadas por meio de programas de rádio e redes sociais sobre temas vinculados ao envelhecimento.

A Universidade Estadual e Ponta Grossa (UEPG) também adotou o sistema remoto. Durante a semana, são oferecidas aulas com professores convidados, além de rodas de conversas virtuais entre os participantes.

“Mesmo na modalidade a distância, esses encontros são muito importantes para manter os idosos animados, sempre em contato com outros idosos e com professores, como uma maneira de combater o isolamento e a tristeza que pode levar à depressão”, enfatiza a coordenadora da Uati, Rita de Cassia da Silva Oliveira.

A Uati da Universidade Estadual de Maringá (UEM) e da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) também articulam ensino e extensão em diferentes ações, tudo on-line. Os programas ofertam vagas em cursos nas várias áreas do conhecimento, promovendo um espaço de troca, participação e aprendizado.

A Universidade Estadual do Norte do Paraná (Uenp) não atua com o programa, mas oferece outras atividades de extensão e pesquisa voltadas a esse público.

 

 

Via
AEN

Artigos relacionados