DestaqueParanáSaúde

Secretaria Estadual de Saúde confirma 5° morte causada por gripe no Paraná

Às vésperas do início da campanha nacional de vacinação contra a gripe, programada para segunda-feira (23), a Sesa (Secretaria de Estado da Saúde) confirmou mais uma morte pela Influenza no Estado. Este é o quinto óbito pelo vírus em 2018. O último caso foi registrado em Santa Terezinha de Itaipu (Oeste), em que a vítima teve o subtipo H3N2. As outras situações ocorreram em Ampére (Sudoeste), por H1N1; Santa Izabel do Oeste (Sudoeste), H1N1; Foz do Iguaçu (Oeste), H3N2; e Cafezal do Sul (Noroeste), H3N2.

A meta da pasta é imunizar 3,2 milhões de pessoas em 2018, o que representa a cobertura vacinal de 90% do público-alvo. Em Londrina, a estimativa é que sejam distribuídas 160.122 doses. O grupo para qual a vacina é destinada é formado por pessoas com 60 anos ou mais, crianças de seis meses a quatro anos de idade, gestantes, puérperas, profissionais de saúde, indígenas, portadores de doenças crônicas, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e professores das instituições públicas e privadas.

Para receber a dose, a pessoa que faz parte do público-alvo deve ir até uma UBS (Unidade Básica de Saúde). O Dia D da campanha está previsto para 12 de maio, um sábado. “O objetivo da vacinação é reduzir as complicações pela doença respiratória, além da diminuição de internamentos pela síndrome gripal, que normalmente é grave. Com isso também há a redução de mortes. O público-alvo foi definido a partir do perfil comportamental da doença nestas pessoas, que são mais vulneráveis”, explicou João Luis Crivellaro, diretor do Centro Estadual de Epidemiologia. A campanha vai até 1° de junho.

 

SINTOMAS

Ele destaca que a população deve ficar atenta a alguns sintomas. Ao notá-los, é preciso buscar atendimento médico nas unidades de saúde. “Entre os sintomas estão a dor de cabeça, de garganta, dores musculares, respiração com dificuldade. A pessoa deve ter cuidado para não confundir com a gripe comum e ao sentir estes dever ir até uma UBS o quanto antes, pois precisa da medicação correta e quanto mais demora, mais estes sintomas aumentam. Ninguém deve se automedicar”, adverte.

De acordo com o último Boletim Epidemiológica da Influenza, divulgado na quarta-feira (18), foram 31 casos notificados no Paraná neste ano. Em 2017, no mesmo período, o boletim tinha confirmado 26 casos. Na Região Metropolitana de Londrina, o município de Ibiporã é o único com constatação de morador com o vírus. Na cidade foi notificado um caso de Influenza B. No ano passado, houve 592 mortes por gripe no Estado.

 

PREVENÇÃO

Crivellaro aponta que aqueles que integram o público-alvo e receberam a vacina no ano passado, não devem deixar de se imunizar novamente. “Este ano houve duas alterações na composição da vacina, pois temos vírus de subgrupos que circularam com uma incidência altíssima no Brasil no ano passado. A vacina que será distribuída é tetravalente”, pontua. “Dos cinco óbitos pela gripe, em quatro as pessoas poderiam ter tomado a vacina em 2017, mas não fizeram isso”, acrescenta.

O período de maior circulação do vírus vai de abril a julho. Para a população em geral, alguns cuidados são recomendados como forma de prevenção. “Lavar as mãos com frequência, usar gel, procurar ambientes arejados, evitar aglomerações de pessoas. Quanto mais a pessoa se fecha, mais o vírus circula. Ao tossir e espirrar, não colocar a mão na boca e sim a dobra do braço.”

 

Com informações da Folha de Londrina

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Close