Poucas atividades físicas, longas horas em frente à TV ou ao computador, falta de horários para se alimentar e uma cobrança cada vez maior por corpos magros e bonitos para manter os padrões de beleza atuais. Rotina comum para muitas crianças e jovens de hoje que tem resultado no aumento de casos de transtornos alimentares, tais como obesidade, anorexia e bulimia entre este público.

Preocupada com elevado número de crianças e adolescentes com sobrepeso e obesidade atendidos nas Unidades Básicas de Saúde, a secretaria municipal de Saúde, por meio do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf), iniciou no final de maio o projeto “Desafio Kids”, cujo objetivo é promover qualidade de vida por meio da reeducação alimentar e adoção de hábitos saudáveis para crianças de 7 a 12 anos com sobrepeso ou obesidade.

O projeto funciona nos mesmos moldes do “Desafio dos 100 Dias”, realizado com adultos. Até o final de agosto cerca de 20 crianças serão assistidas gratuitamente por uma equipe multiprofissional formada por nutricionista, psicóloga, acupunturista e educador físico da rede pública municipal de saúde. Ao todo serão 19 encontros, envolvendo além das crianças, os seus pais ou responsáveis. “Reeducar uma criança demanda que toda a família se dedique. Muitas vezes o alimento entra no lugar do afeto e os pais têm dificuldade em negar uma guloseima ao filho. Como elas se inspiram muito nos adultos estes precisam dar o exemplo, alimentando-se saudavelmente, até para a criança não se sentir excluída durante este processo de mudanças alimentares”, explica a psicóloga Priscila Maria Cunha.

Durante o acompanhamento nutricional a nutricionista do projeto, Ruth Yukiara Watanabe, ensinará aos pais estratégias para introduzir alimentos saudáveis na dieta dos filhos. Variar os ingredientes, fazer preparos diferentes, sugerir receitas saudáveis e substituir comidas industrializadas pelas preparações caseiras são algumas das orientações a serem repassadas pela profissional. “É importante os pais saberem o que os filhos estão comendo na escola e estabelecer um horário para as refeições. A nova dieta não pode ser restritiva nem radical. Partimos dos hábitos que as crianças já têm e diminuímos os excessos gradativamente, enquanto oferecemos alimentos mais saudáveis”, afirma Ruth.

Para auxiliar com o processo, os participantes terão sessões de acupuntura, para auxiliar no controle da ansiedade e melhora do metabolismo; atividades físicas, trabalhadas de forma lúdica; e conversas com a psicóloga, para auxiliar pais e filhos a entenderem o que desencadeia o processo de compulsão alimentar. “Dinâmica familiar, autoestima, autoconfiança, autoimagem, importância de estabelecer regras e limites e bullying serão alguns dos temas a serem tratados durante os encontros”, cita a psicóloga.

Ana Gabrielly Augusto de Moraes, 7 anos, e Maria Clara Cividati, 8, estão no “Desafio Kids” pelos mesmos motivos – alteração nos triglicerídeos e um pouco de sobrepeso. “A Ana gosta muito de doce, chips. Mas desde que ela começou a frequentar o projeto está se policiando. Como foi ensinado aqui, já estamos substituindo o refrigerante pelos sucos naturais”, revela a avó, Alaide Augusto da Luz.

A mãe de Maria Clara, Gleice Aparecida da Silva Cividati, confessa que os maus hábitos alimentares da filha são reflexos do que a família põe no prato. “Gostamos de massa, doces. O avô dela almoça e janta com uma paçoca, um doce de leite ao lado do prato. Ela ainda é criança. Precisa se cuidar, não apenas pela questão estética, mas qualidade de vida mesmo. Não é fácil emagrecer”, comenta Gleice.

A menina garante que já está aplicando as dicas repassadas pela nutricionista, como mastigar mais vezes os alimentos. “Antes comia bastante e rápido. Agora mastigo pelo menos 30 vezes. Aumenta a saciedade. Creio que não será difícil emagrecer. Gosto de caminhar, andar de bicicleta. É só cuidar da alimentação mesmo”, sentencia Maria Clara.

 

Atividades esportivas e artísticas

A Prefeitura de Ibiporã oferece várias atividades gratuitas para crianças e adolescentes que desejam se exercitar. Nas Escolinhas de Esportes há aulas de futebol, futsal e voleibol para meninos e meninas na faixa etária dos 13 aos 15 anos. Os treinos são gratuitos e acontecem nos Ginásios Gnann e Munhecão e no Campo Estrela. A única exigência é que o adolescente esteja estudando. As inscrições poderão ser feitas diretamente com o professor conforme dia e horário específicos para cada idade.

Outra opção de prática desportiva é o “Projeto Movimento”. O objetivo é oportunizar a iniciação esportiva para crianças na faixa etária dos 8 a12 anos,  por meio de atividades esportivas e recreativas realizadas nos ginásios e demais espaços do município. Dentre as modalidades ofertadas estão: basquete, futsal, handebol, vôlei e xadrez.

As atividades são orientadas por estagiários de Educação Física e acontecem no contraturno escolar nos Ginásios de Esportes “Munhequinha”, no Conjunto José Pires de Godoi, Fioravante Pedro Scolari, no Jardim Pérola, e José Carlos Gnann.

Horários e mais informações sobre as Escolinhas de Esportes e o Projeto Movimento na Secretaria de Esportes – Rua João Barreto 505, Jardim Pérola, ou pelo telefone: 3178-0204.

Para aqueles que possuem mais tendência artística a Fundação Cultural de Ibiporã (FCI) oferece os cursos de ballet, teatro, cerâmica, desenho, teclado, guitarra, piano, violão e bateria.

As matrículas abrem no início do ano. Mais informações: Av. Dom Pedro II, 368. Telefones: 3178-0215/0216.

3 2 1


Warning: A non-numeric value encountered in /home/u518741285/domains/portaltudo.com.br/public_html/wp-content/themes/portal2017/includes/wp_booster/td_block.php on line 1009