Foto: Emerson Dias

A Prefeitura de Londrina sediou, na manhã desta quarta-feira (29), reunião introdutória para inscrever o Parque Tecnológico Francisco Sciarra, que fica na Gleba Lindóia, em edital da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) para apoio com recursos financeiros não reembolsáveis. A Chamada Pública irá destinar R$ 180 milhões a parques tecnológicos já em operação ou em implantação, e as inscrições estão abertas até 18 de fevereiro.

O encontro em formato híbrido ocorreu no gabinete do prefeito Marcelo Belinati e contou com participação do vice-prefeito João Mendonça; do secretário municipal de Governo, Alex Canziani; diretor de Ciência e Tecnologia do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Roberto Moreira; diretor de Tecnologia e Operações da Companhia de Tecnologia e Desenvolvimento (CTD), Pedro Sella.

Participaram também o presidente da Angelus, Roberto Alcantara; o diretor de Inovação da Sociedade Rural do Paraná (SRP) e coordenador da governança Agro Valley, George Hiraiwa; o superintendente da Irmandade Santa Casa de Londrina (Iscal), Fahd Haddad; entre outros representantes de entidades e empresas locais.

Estão instaladas e em funcionamento no Parque Tecnológico Francisco Sciarra, a sede regional de Londrina do Instituto de Pesos e Medidas do Paraná (IPEM); as empresas Angelus, Kobra, Ágili, Interseals e AAF; e as obras de construção seguem em andamento para a Eiddee, Indusbello, ERBR e Elite Soft. O complexo também agrega o Centro de Desenvolvimento Econômico (Tecnocentro) de Londrina, que deve ser inaugurado nos próximos meses e, com ele, a Companhia de Tecnologia e Desenvolvimento também será transferida para o Parque.

A Chamada Pública da Finep, empresa pública vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, tem como objetivo incentivar o desenvolvimento tecnológico, tanto local como regional; aumentar a competitividade e a interação entre empresas e instituições de Ciência e Tecnologia, além de promover o desenvolvimento de ecossistemas de inovação e da sociedade do conhecimento.

São oferecidas duas linhas pelo edital, uma para parques tecnológicos em plena atividade, com aportes na faixa de R$ 8 milhões a R$15 milhões, e outra para parques em implantação, com destinação mínima de R$ 4 milhões e máxima de R$10 milhões. Sobre o valor pleiteado pelo proponente, é exigida uma contrapartida de 25%.

O vice-prefeito de Londrina, João Mendonça, elogiou a iniciativa das entidades se unirem à Prefeitura para pleitear o apoio financeiro do governo federal. “Agradeço a esses talentos de Londrina, que tanto contribuem para nossa cidade. Que em 2022 a gente consiga executar esses projetos para o progresso e desenvolvimento do município e, também, da região”, disse.

Para o secretário municipal de Governo, Alex Canziani, trata-se de uma grande oportunidade de impulsionar ainda mais o Parque Tecnológico Francisco Sciarra. “A ideia dessa reunião era envolver os atores para que, juntos, a gente possa desenvolver esse projeto. Temos por exemplo o Roberto Alcantara, da Angelus, um empreendedor muito inovador e que já conseguiu vários projetos aprovados na Finep. Esperamos, em fevereiro, ter sucesso em viabilizar mais recursos do governo federal para nossa cidade”, citou.

Um grupo de trabalho foi formado para desenvolver a proposta institucional a ser inscrita no chamamento, com representantes da CTD, Codel, Secretaria Municipal de Governo, Irmandade Santa Casa de Londrina e Angelus. A expectativa é que uma nova reunião ocorra no início de janeiro, para alinhamento e debate e, antes da data final de inscrição, o projeto de Londrina seja inscrito junto à Finep.

O cronograma do edital da Finep informa que o resultado preliminar da Chamada Pública será divulgado em 31 de março. Os proponentes farão apresentações orais no período de 2 a 13 de maio e o resultado final será publicado em 14 de junho.

O diretor de Ciência e Tecnologia da Codel, Roberto Moreira, reforça que o edital é uma ótima oportunidade para implementar, com mais velocidade, ações já planejadas para o Parque Tecnológico. “Uma delas é em relação ao Tecnocentro, fazendo com que ele integre, além das empresas e indústrias já instaladas no Parque, todo o ecossistema de inovação da cidade. Prova disso é a mobilização de várias entidades e empresas para discutirmos o edital. É uma ótima oportunidade e vamos empenhar várias pessoas para viabilizar essa gestão”, afirmou.

Segundo o diretor de Tecnologia da Informação e Operações da CTD, Pedro Sella, que apresentou os principais pontos da Chamada Pública, os recursos que a Prefeitura pretende viabilizar poderão ser aplicados na parte estratégica do Parque Tecnológico. “Além de equipar o Tecnocentro, esses recursos podem nos auxiliar a implementar a estratégia desenvolvida para o ecossistema de Londrina, viabilizando e melhorando o Parque Tecnológico, com mais oportunidades para as empresas instaladas e ser um chamariz para novas empesas. Queremos atrair mais empresas de tecnologia, fomentar o desenvolvimento de novas empresas e startups, para que ele se torne o ambiente em que ocorra a integração de empresas, novas empresas, instituições de ensino e a sociedade civil”, complementou.

Com ampla experiência na elaboração de projetos de inovação e captação de recursos, o empresário e fundador da Angelus, Roberto Alcantara, lembrou que sua empresa foi a primeira da iniciativa privada a ser instalada no Parque Tecnológico Francisco Sciarra. “Nossos projetos e produtos inovadores é que levaram a Angelus até onde ela está hoje, atuando globalmente e com bases no Japão e Estados Unidos. Tivemos recursos governamentais que possibilitaram a contratação de pesquisadores que geraram esses produtos; dessa forma, considero que o Parque Tecnológico terá sucesso com investimentos que possibilitem a atração de empresas e pesquisadores que compartilhem da visão de transformar inovação em negócios. E esse edital é uma excelente oportunidade para atingirmos isso”, finalizou.

A reunião também contou com a presença da gerente de Ensino e Pesquisa da Iscal e presidente da Governança em Saúde, Karen Barros Parron Fernandes; o diretor de pesquisa e inovação da Angelus, César Belinatti; a coordenadora de Gestão de Riscos e Compliance da CTD, Elaine Capelari; o pesquisador e embaixador de Londrina, Pedro Riccetto; entre outros.


Warning: A non-numeric value encountered in /home/u518741285/domains/portaltudo.com.br/public_html/wp-content/themes/portal2017/includes/wp_booster/td_block.php on line 1009