DestaqueIbiporã

Prefeito João Coloniezi conversa sobre industrialização com alunos

O prefeito João Coloniezi e o chefe de gabinete e secretário de Indústria e Comércio, Antonio Antonholi, receberam nesta segunda-feira (07) os alunos do quarto ano do Complexo Municipal Professora Ivanildes Gonçalves Nalim, no Jardim Santa Paula.

Acompanhados da diretora Eleide Gorete e da professora Carina Silva de Oliveira, eles conversaram com o prefeito e o secretário sobre o processo de industrialização de Ibiporã, conteúdo que está sendo estudado em sala de aula. Muito curiosos, perguntaram sobre a política municipal de incentivo à industrialização, a ampliação dos parques industriais e cursos de qualificação profissional ofertados pela Secretaria do Trabalho.

Respondendo a todas as perguntas, o prefeito assegurou que o governo municipal está trabalhando para o fortalecimento do setor industrial em nosso município e aguarda a retomada do crescimento econômico do país para que o empresariado volte a investir. “Também nos preocupamos com a qualificação profissional dos munícipes. Somente neste primeiro semestre já ofertamos mais de 30 cursos. Este ano lançamos um grande projeto de geração de trabalho e renda na área de costura – o “Ibiporã na Linha do Futuro”, citou Coloniezi.

Na oportunidade, os alunos entregaram ao prefeito bilhetes de agradecimento pela disponibilidade em atendê-los e convidaram o secretário de Indústria e Comércio para ir até a escola palestrar sobre a industrialização de Ibiporã, o que foi prontamente aceito por Antonholi.

As crianças também aproveitaram para comercializar verduras orgânicas cultivadas por elas mesmas na horta da instituição. O “Horta na Escola” integra o programa social “A União Faz a Força”, da cooperativa de crédito Sicredi União PR/SP, cujo objetivo é construir e vivenciar atitudes e valores de cooperação e cidadania, contribuindo para a educação integral de crianças e adolescentes. “O cultivo e manutenção da horta tem envolvido toda a comunidade escolar. Com a atividade pudemos trabalhar interdisciplinarmente e ampliar a base alimentar dos alunos, já que as hortaliças colhidas por eles são servidas na merenda. O dinheiro obtido com a venda das verduras está sendo reinvestido na melhoria do projeto, com a compra de novas mudas e sacolas. Também conseguimos comprar um liquidificador para a cantina”, revelou a diretora.

Artigos relacionados

3 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.