DestaqueLondrina

Passagem de pedestres no Bosque Central de Londrina é interditada para sequência das obras

Bloqueio é necessário para iniciar a concretagem do piso na área interna e será feito a partir de quinta-feira (5)

Por conta do avanço dos serviços de revitalização do Bosque Central “Marechal Cândido Rondon”, a Prefeitura de Londrina interditará, a partir desta quinta-feira (5), os acessos principais para pedestres a este espaço público. Para dar início ao trabalho de aplicação de concreto na área central do bosque, ficarão bloqueadas as passagens pelo meio do bosque, entre as avenidas São Paulo e Rio de Janeiro, na altura da rua Piauí. A medida foi informada nesta terça-feira (3), durante mais uma etapa de vistorias integradas em obras públicas municipais.

A previsão é que os bloqueios, que estarão devidamente sinalizados no local, permaneçam por um período aproximado de dez a 15 dias. O isolamento é necessário para evitar o risco de acidentes, até que o piso interno do bosque esteja todo concretado e adequado para receber novamente o trânsito de pessoas. Nesse período, poderão circular no interior do bosque apenas as máquinas e equipes da empresa responsável, a San Pio Construtora, além de fiscais da Prefeitura e o público autorizado.

Foto: Vivian Honorato

O secretário municipal de Planejamento, Orçamento e Tecnologia, Marcelo Canhada, destacou a importância da obra, prevista para ser concluída e entregue até o final de setembro deste ano. Ele pediu a compreensão dos moradores da região e pedestres que passam pelo Bosque Central. “Essa revitalização mudará a cara do centro de Londrina, por meio de um projeto belíssimo que está em estágio avançado. Para que possamos aplicar o concreto na área interna e entregar a obra dentro do prazo, precisamos da contribuição e paciência da população. O fechamento traz um breve transtorno, mas depois da obra pronta, todos poderão usufruir bem deste histórico e importante espaço público. Estamos otimistas para entregar um bosque mais seguro, acessível, iluminado, confortável e com diferentes opções de lazer e descanso”, destacou.

Foto: Vivian Honorato

Segundo Amanda Castro, engenheira de obra da empresa San Pio, o fechamento da área de passeio principal leva em conta, além da sequência das obras, a segurança do público. “O espaço precisa ficar isolado, pois, para a concretagem do piso, serão instaladas telas e grades no solo, podendo gerar perigo de quedas e acidentes. O concreto, quando é aplicado, precisa de um período de descanso até que esteja firme, então a liberação será feita apenas quando tudo estiver pronto”, disse.

Já para o dia 16 de agosto está programado o início da execução do novo piso em concreto armado no asfalto das avenidas Rio de Janeiro e São Paulo, incluindo criação de novas faixas elevadas em frente ao bosque. Para permitir o serviço, haverá a interdição de meia pista em cada uma das duas vias trabalhadas, sendo que os bloqueios serão previamente informados pela Prefeitura. Após serem concluídas, as primeiras partes das pistas serão liberadas para tráfego e, na sequência, o mesmo trabalho irá ocorrer nos pontos restantes.

Foto: Vivian Honorato

Túnel da Rio Branco x Leste-Oeste – As obras de implantação da trincheira com túnel entre as avenidas Rio Branco e Leste-Oeste, iniciadas em janeiro deste ano, continuam em execução. Com o objetivo de proporcionar mais celeridade ao andamento, a Prefeitura chamou a atenção da empresa responsável, devido a atrasos em alguns dos serviços, principalmente referentes à implantação do novo sistema de galerias pluviais.

Segundo Marcelo Canhada, que esteve no local hoje (3), a construtora responsável, a TCE Engenharia, alegou atrasos recentes por parte de fornecedores de materiais de construção, o que teria dificultado o cumprimento do cronograma. “Estamos conversando para que o contrato seja cumprido corretamente, pois trata-se de recurso público envolvido e a obra gera transtornos aos motoristas, comerciantes e moradores. São trechos curtos de pista recebendo cada etapa do serviço de drenagem, mas em uma região onde há muito movimento na região da avenida Rio Branco”, enfatizou.

Canhada disse que a Prefeitura seguirá fiscalizando de perto. “Se forem constatados atrasos que não tenham justificativas plausíveis, aplicaremos as penalidades que a lei nos permite. O poder público tem a obrigação de dar um retorno aos contribuintes, e estamos cobrando que a empresa coloque mais máquinas e operários para as atividades, cobre seus fornecedores e agilize a execução. O túnel será de grande importância para a cidade, para melhorar o trânsito, a mobilidade urbana e trazer mais segurança a todos”, esclareceu.

Foto: Vivian Honorato

Cidade Industrial – Nesse momento, os serviços para a implantação do complexo da Cidade Industrial de Londrina, na região norte, contemplam, principalmente, a execução de galerias pluviais e terraplenagem. O investimento da Prefeitura será de R$ 24 milhões para viabilizar um polo industrial com área total de 1,1 milhão de m², e estrutura para abrigar 90 empresas, no prolongamento da avenida Saul Elkind, sentido Cambé.

Em visita ao local, Marcelo Canhada informou que os fiscais da Prefeitura prosseguirão com os trabalhos de acompanhamento das obras, tendo uma nova medição para cumprir nesta quinta-feira (5). Já para sexta-feira (6), às 10h, está prevista uma reunião na sede da Prefeitura envolvendo representantes da administração municipal e da Construtora e Incorporadora Squadro, incluindo participação de órgãos como a Codel, secretarias de Planejamento, Obras e Gestão Pública. “Existe atraso no cronograma e estamos atentos para tomar providências cabíveis, caso seja necessário. A Cidade Industrial será fundamental para o desenvolvimento de Londrina, gerando muitos empregos e oportunidades, e precisamos viabilizar sua construção da melhor forma”, concluiu.

O projeto da Cidade Industrial inclui construção de toda a infraestrutura, sistema de energia elétrica, rede coletora de água e sistema de esgoto, e iluminação pública com sistema LED, plantio de árvores e gramado, calçadas e ciclovia. O presidente da Codel, Bruno Ubiratan, acompanhou a vistoria na obra da Cidade Industrial.

 

 

Via
Assessoria PML

Artigos relacionados