CidadesDestaqueIbiporã

Morre o pioneiro e ex-vereador de Ibiporã, Jacinto Semprebom

Com quatro mandatos consecutivos, de 1983 a 2000, teve destacada atuação com apresentação de dezenas de requerimentos e indicações solicitando melhorias para o Município e aos cidadãos ibiporaenses

O pioneiro e ex-vereador de Ibiporã, Jacinto Semprebom, morreu na noite do último domingo (09), aos 84 anos. Com quatro mandatos consecutivos, de 1983 a 2000, sempre eleito pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), teve destacada atuação com apresentação de dezenas de requerimentos e indicações solicitando melhorias para o Município e aos cidadãos ibiporaenses.

Foto: arquivo/reprodução

Membro atuante da sociedade municipal, Jacinto Semprebom foi presidente da Associação Comercial e Empresarial de Ibiporã (Aceibi), em dois mandatos, de 1970 a 1974; e de 1978 a 1980. Logo no início do primeiro mandato, deu início à nova fase da entidade, oferecendo o primeiro curso, em convênio com o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) – “Técnica de Vendas”, realizado no mês de outubro de 1970. Nesse período foi iniciado o Serviço de Proteção ao Crédito (Seproc), com a associação fazendo parte do Convênio Nacional de Intercâmbio. Assunto bastante discutido naquele ano foi o início da cobrança da água pelo Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae), que até então era gratuita, por meio da instalação de hidrômetro em várias residências do Município.

Em 1972, como presidente da Aceibi, Jacinto Semprebom fez parte da elaboração do projeto de organização da biblioteca pública municipal. Além das verbas orçamentárias do Município, houve a colaboração do comércio e indústria de Ibiporã e de pessoas que doaram coleções e/ou livros avulsos. Para tal empreendimento, ficou constituída uma comissão de quatro pessoas: Jacinto Semprebom, Helio Romagnoli, Antônio Businhani e Paulo Borgo Neves. Formou-se assim uma pequena biblioteca muito útil às pessoas que necessitavam ampliar conhecimentos e realizar pesquisas. Muitas outras pessoas participaram na formação dessa biblioteca, fizeram trabalho de grande dedicação, indo de casa em casa solicitando doações.

Em 1976, Jacinto Semprebom foi candidato a vice-prefeito, na chapa encabeçada por Mario Sérgio Pelisson, da Aliança Renovadora Nacional (Arena), obtendo 1.555 votos. O vitorioso naquela eleição foi Francisco Deliberador Neto, do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição, com 3.114 votos.

Foto: arquivo/reprodução

Em 1985, enquanto a Prefeitura de Ibiporã instalava postos de saúde, a instituição do Hospital Cristo Rei inaugurou, em solenidade muito simples, o Pronto Socorro Madre Josefina. A construção abrangeu uma área de 450m², com duas salas de curativos – uma para colocação de gesso, outra para operações, duas enfermarias, uma central de enfermagem, dois consultórios médicos, um quarto para plantonistas, um aparelho de raio X, além do salão de entrada com recepção. O dinheiro da obra foi uma doação da família do Padre João Batista Giomo, que na ocasião era presidente da entidade hospitalar. O hospital, na época, era administrado por Jacinto Semprebom e tinha oito médicos em seu corpo clínico, mais 40 funcionários atendendo 40 leitos.

Em 1º de janeiro de 1997, às 10 horas, no Cine-Teatro Padre José Zanelli, Nadir Bigati foi empossado como prefeito. Como manda a lei, Jacinto Semprebom, vereador mais velho, comandou a mesa de cerimônia de posse dos vereadores.

Em 2014, Jacinto Semprebom deu seu depoimento que está registrado no DVD book “Contos e Causos: História Viva de Ibiporã” – Volume V, projeto da Fundação Cultural de Ibiporã.

O corpo do pioneiro está sendo velado na capela mortuária do Cemitério Municipal São Lucas, em Ibiporã, e será sepultado às 17 horas desta segunda-feira (10).

Fonte
Fonte: Devaldo Gilini Júnior - Departamento de Imprensa e Relações Públicas Câmara Municipal de Ibiporã

Artigos relacionados

Close