O índice de infestação do mosquito Aedes aegypti , transmissor da dengue, zika e febre chikungunya, continua baixo em Ibiporã .O quarto Levantamento Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa), realizado pelo Setor de Endemias da Secretaria Municipal de Saúde, aponta um índice de 0,3%. O preconizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é de até 1%. Os três LIRAa anteriores ficaram em 0,2, 4,5 e 4,0%.

Segundo o Setor de Endemias, 884 imóveis (5% do total) foram visitados pelos agentes de endemias no período de 1 a 5 de julho. Seis focos do mosquito foram encontrados, todos em quintais de residências. As temperaturas mais baixas, o tempo seco e as ações de combate ao mosquito, como a remoção de criadouros casa a casa, contribuíram para a manutenção dos baixos índices de infestação, pontua o Setor de Endemias.

 

FRIO

Os casos de dengue costumam ser reduzidos naturalmente durante o inverno, mas, mesmo assim, a preocupação com a doença não pode diminuir. A estação é ideal para intensificar a prevenção do aparecimento de focos e estar sempre atento as áreas de risco. A Secretaria de Saúde alerta que os ovos do mosquito podem sobreviver por até um ano e meio na natureza à espera de condições ideais para eclodir. Há registros da dengue durante o ano todo. O frio não é mais empecilho para a proliferação do mosquito. A única situação que impede o Aedes aegypti de se multiplicar é a seca. Por isso a importância que todos façam a sua parte e não se esqueçam de eliminar a água parada, ambiente propício para a formação de criadouros do mosquito.

O governo municipal realiza ações contínuas de combate ao mosquito. Os agentes de Endemias iniciam esta semana o quinto ciclo de remoção dos criadouros em 100% do território. Nas residências com notificações os profissionais fazem o bloqueio da transmissão viral com aplicação de inseticida (UBV costal). Além disso, estão sendo realizadas operações de limpeza em terrenos públicos, sala de situação para mapear regiões críticas, mobilizações todo dia 9 de cada mês, definido como Dia Estadual de Combate ao Mosquito Aedes aegypti, ações educativas em empresas, igrejas e escolas, capacitação de servidores e teste rápido.

A Administração Municipal solicita que os moradores estendam a faxina de suas residências para os quintais, tirando pelo menos 15 minutos por semana para eliminar possíveis criadouros do mosquito.

Segundo o Setor de Endemias, de janeiro até o dia 24 de junho Ibiporã registrou 2.346 notificações, sendo que 1.181 resultaram positivos, todos autóctones (contraídos no próprio município). Também foram diagnosticados cinco casos de zika vírus. Conforme o último boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), que considera o período entre agosto de 2015 e a primeira semana de julho, divulgado nesta terça-feira (05), Ibiporã e outros 83 municípios paranaenses enfrentam epidemia da doença. A incidência é de 2.461,30 casos por 100 mil habitantes. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estabelece como parâmetro para caracterização de epidemia incidências iguais ou superiores a 300 casos confirmados de dengue para cada grupo de 100 mil habitantes.


Warning: A non-numeric value encountered in /home/u518741285/domains/portaltudo.com.br/public_html/wp-content/themes/portal2017/includes/wp_booster/td_block.php on line 1009