A Sessão Ordinária realizada pela Câmara Municipal de Ibiporã na segunda-feira (18) à noite começou com o presidente da Casa, vereador Lafayette Forin, solicitando ao vereador Orlando Ferreira que fizesse a leitura de um trecho da Bíblia Sagrada.

Em seguida, o presidente anunciou a discussão e votação da Ata da Sessão Ordinária anterior, e como não houve manifestações a declarou aprovada.

O presidente solicitou então à vereadora Maricélia Soares de Sá (Mari de Sá), Primeira Secretária da Casa, para que procedesse a leitura das matérias do expediente.

Na Ordem do Dia não houve matérias para discussão e votação dos vereadores, e o presidente da Comissão de Justiça, Legislação e Redação, vereador Hugo Furrier marcou para segunda-feira (25), às 8h30, reunião para exarar parecer ao Projeto de Lei 001/2016-LE, que proíbe, no âmbito do Município de Ibiporã, a inauguração e entrega de obras públicas incompletas ou que, embora concluídas, não atendam ao fim a que se destinam e dá outras providências.

No Período de Explicações Pessoais fizeram uso da palavra os seguintes vereadores:

Roberval dos Santos – “Senhor presidente, senhores vereadores, pessoas que nos visitam esta noite, ouvintes da rádio Alternativa FM, boa noite. Eu quero continuar na palavra livre a respeito da segurança. Na semana passada nós discutimos aqui nesta Casa sobre a segurança pública, principalmente na Zona Rural. Foi tema de comentários, discursos, de vários companheiros. E nós tivemos uma informação hoje, no período da tarde, de um cidadão que nos procurou, inclusive eu vou estar fazendo requerimento, provavelmente amanhã, ele nos procurou e disse que houve um pequeno roubo, um pequeno assalto, na região central da cidade, e ele foi requisitar na Prefeitura imagem, para ver se com a imagem a Polícia poderia fazer um trabalho de identificação dos meliantes, vamos usar este termo, e para surpresa dele, ele teve a informação de que só têm duas câmeras funcionando, de vigilância, que é a câmera de vigilância do San Rafael e a câmera de vigilância da entrada da cidade, não sei dizer precisamente se é no Santa Paula ou um pouco mais para cima ali, pro lado da Brasilit se eu não me engano, ou da Dib, acho que é perto da Dib ali, são as duas câmeras que ele foi informado que estavam funcionando. Aí surgem perguntas, por quê? Qual é a forma de manutenção? A empresa contratada está fazendo manutenção periódica e existe uma empresa contratada? Quantos funcionários são utilizados para desempenhar este trabalho pela terceirizada? Se tem funcionários, então o resultado do serviço não está sendo a contento, então no momento em que nós discutimos aqui na Câmara a ausência de segurança… e é uma ferramenta útil. Quando o prefeito José Maria colocou as câmeras de vigilância, realmente, era digno de aplauso, era interessante que a cidade pudesse nesta era virtual, digital, facilitar o trabalho da polícia, o trabalho em geral para maior segurança do cidadão, então eu sou favorável a este trabalho da câmera de vigilância, mas ao mesmo tempo eu me decepciono ao saber que… eu lembro que quando foi implantado, eram 11 câmeras, hoje me parece que são 17, 16, eu não tenho certeza, e nós temos duas apenas funcionando, se é que este fato realmente procede, se é que é verdadeiro, então nós estamos trabalhando, embora é poder público, embora muitas pessoas esperam que o poder público não seja tão eficiente quanto à iniciativa privada, mas quem está fazendo o trabalho é uma terceirizada, então estão faltando fiscalização? Ou não tem o contrato? Então são várias perguntas que nós desdobramos em cima desta situação, então hoje tem reunião do Conselho de Segurança, o Conselho de Segurança, às 19h30, vai estar reunido na Associação Comercial e um dos temas que ele vai tratar é a construção de um muro na Delegacia de cinco mil reais, que ele vai tentar coletar com a comunidade de recurso para se fazer esse muro, e aí vai a pergunta: se nós temos uma equipe trabalhando de nove, dez funcionários, me parece que este é o número que está envolvido nesta área, nós temos as câmeras de segurança, temos a terceirizada, quanto nós gastamos nisso? Então, se as câmeras estão desligadas, não é melhor ajudar no muro, que a gente sabe que a Delegacia está, embora é uma prerrogativa do poder público estadual, mas se faz menção aos moradores, se influencia na vida dos moradores dos arredores da Delegacia, que é na região central e precisa realmente haver uma segurança. Então, eu me preocupo, eu acho que nós devemos tomar realmente uma posição com relação a isso. Vou encaminhar o requerimento e peço para os pares aí, aqueles que têm um acesso maior que estejam verificando esta situação, como pode ser feito lá de maneira direta com o poder público, mas nós vamos estar fazendo de maneira oficial para que nós possamos estar realmente coletar essas informações. Espero que seja somente uma informação que realmente não sejam realmente só duas câmeras, nós temos um serviço desse e temos somente duas câmeras de segurança instaladas aqui na cidade. Era só, Senhor Presidente, senhores vereadores, depois a gente vai ter a oportunidade de colocar mais algumas coisas, obrigado”.

 

Hugo Furrier – “Boa noite presidente, companheiros vereadores e pessoas que nos visitam nesta noite. Bom, presidente, eu gostaria de falar sobre um requerimento que eu fiz ao Executivo Municipal que é uma sugestão ao prefeito para enviar um projeto dele para beneficiar pessoas que adotam animais. Nós temos aqui na cidade hoje em torno de duas ONGs que cuidam de animais que sofreram maus tratos, que alguém machucou, e muitas vezes eles cuidam destes cachorros, levam até o veterinário, dá aquele cuidado necessário, porém quando vai fazer a adoção as pessoas, muitas vezes, acabam não se interessando, ou muitas vezes já têm um cachorro, ou não vai ter as condições necessárias, e muitas vezes precisam de um incentivo. E este projeto que a gente está sugerindo ao poder municipal visa beneficiar o cidadão que adotar com o abatimento do IPTU, um pequeno abatimento, então é um projeto interessantíssimo, eu acredito que o prefeito municipal poderia fazer uma análise profunda com a sua equipe, e eu acredito que via beneficiar não só os donos, mas como os animais abandonados em nossa cidade. Espero que o prefeito analise com carinho, este projeto não pode partir do Legislativo porque este projeto pode criar uma renúncia de receita, então fica inviável a gente fazer aqui pela Câmara Municipal, então é por isso que eu sugeri ao senhor prefeito. Muito obrigado, presidente.”

 


Warning: A non-numeric value encountered in /home/u518741285/domains/portaltudo.com.br/public_html/wp-content/themes/portal2017/includes/wp_booster/td_block.php on line 1009