A Administração Municipal, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, informa que todo o rebanho de bovinos e búfalos, de 0 até 24 meses, deve ser vacinado contra a febre aftosa, até o próximo dia 31 de maio, terça-feira.

A febre aftosa é uma doença infecciosa, causada por vírus, sendo uma das mais contagiosas que atingem os bovinos, búfalos, ovinos, caprinos e suínos.  “Essa doença é de alta morbidade e baixa mortalidade, entretanto, provoca um enorme prejuízo para a cadeia de leite e da carne em todo o estado e também ao país”, afirma o secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Tomás Falkowski.

Conforme o secretário, Ibiporã possui um rebanho de cerca de sete mil cabeças de gado, dessas, 1500 precisam ser vacinadas até o final deste mês. A aquisição e aplicação da vacina contra a febre aftosa é de responsabilidade dos proprietários dos animais. A vacinação e a comprovação junto a prefeitura são obrigatórias, estando prevista em legislação estadual.

“A vacina para o rebanho pode ser comprada nas casas agropecuárias. Após concluir a vacinação dos animais, o pecuarista deve apresentar na Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, até o fim do prazo, a Nota Fiscal da vacina e o relatório de todo o rebanho”, explica Falkowski.

O procedimento de comprovação pode ser realizado também pelo site da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), que é o órgão fiscalizador do estado para as questões de sanidade animal – www.adapar.pr.gov.br.

A não vacinação ou a não comprovação implica em multa de mais de R$ 100 por cabeça não vacinada, além de não poder transportar seus animais para qualquer finalidade.

Os prejuízos da não vacinação não são apenas para o proprietário. “Se ocorrer um foco de aftosa, quem perde é o produtor, o estado e a nação, porque bloqueia todo o processo de exportação de carne. Fazendo isto naturalmente teremos uma crise muito grande no setor, então, para quem tem um animal ou um lote, a responsabilidade é a mesma”, lembra Falkowski.

Mesmo os pecuaristas que não possuam animais a serem vacinados precisam atualizar o rebanho junto a Adapar.

Mais informações na Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, através do telefone 3178-8400 ou pessoalmente, das 08 às 17 horas, na Rua Padre Vitoriano Valente, 50, piso térreo da Prefeitura. Também é possível obter mais informações através do site www.adapar.pr.gov.br

 

Brucelose

O secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Tomás Falkowski lembra que o pecuarista também deve imunizar as fêmeas bovinas ou bubalinas de três a oito meses contra a brucelose, também conhecida como febre de Malta, ou febre ondulante. A doença é infecciosa, causada por diferentes gêneros da bactéria Brucella, que pode afetar o ser humano.

“Quem tem bezerras nesta faixa etária deve ligar no Emater e agendar a vacinação das bezerras. É uma vacina que só veterinário faz e não vale a pena o produtor deixar isto de lado, porque as consequências da brucelose são sérias”, orienta o secretário.

De acordo com Falkowski, os prazos de vacinação e comprovação são os mesmos dos da febre aftosa. O criador que deixar de vacinar ou deixar de comunicar a vacinação até a data estabelecida pela legislação fica passível de sofrer penalidades.

 


Warning: A non-numeric value encountered in /home/u518741285/domains/portaltudo.com.br/public_html/wp-content/themes/portal2017/includes/wp_booster/td_block.php on line 1009