DestaqueEntretenimentoEsportesIbiporã

Cerca de 50 atletas participam da 3ª etapa do Paranaense de Drift Trike, em Ibiporã

A etapa foi decisiva para pelo menos um dos participantes. Felipe Faria consegue o título antecipado na categoria Speed Pró

Muito sol, calor e disputas acirradas. É assim que alguns dos participantes definiram como foi a 3ª etapa do Campeonato Paranaensede Drift Trike, realizada no último final de semana (dias 21 e 22), em Ibiporã. Cerca de 50 atletas participaram das disputas que foram batalhadas no ladeirão cheio de curvas da Avenida André Sert. O campeonato é dividido nas categorias Speed, que tem as divisões mirim, feminino, sport, pró, speed + slide, e Slide.

O final de semana foi decisivo para pelo menos um dos participantes. Felipe Faria – conhecido pelo apelido de “Indião” – conseguiu um 3º lugar na categoria Slide e outro 3º lugar na Speed Pró. Esse resultado lhe garantiu o título antecipado na Speed Pró, o que lhe tornou tetracampeão Paranaense de Drift Trike pelos anos de 2014, 2015, 2017 e, agora, 2019.

O evento foi organizado pela Liga Paranaense de Drift Trike (LPRDT), em parceria com a Prefeitura do Município de Ibiporã, por meio da Secretaria Municipal de Esportes, Recreação e Lazer (Serla). Os participantes, além de pagar uma taxa de inscrição, realizaram a doação de um kit de limpeza ou higiene. As doações serão repassadas posteriormente ao Lar Padre Leone (asilo).

A etapa ocorrida em Ibiporã foi a penúltima antes da final do campeonato, que será disputada na cidade de Campina Grande do Sul, região metropolitana de Curitiba, nos dias 7 e 8 de dezembro.

Confira no álbum desta matéria (abaixo) algumas das fotos registradas no evento.

Conheça o que é o Drift Trike

O Drift Trike é uma modalidade recente de Esporte Radical, que consiste em descer ladeiras com triciclos modificados para derrapar. Após surgir na Nova Zelândia em 2008 e se popularizar nos Estados Unidos, o Drift Trike tem no Brasil um dos países como mais praticantes atualmente no mundo. As competições oficiais no país começaram em 2013 e hoje se espalham por vários estados.

O carrinho é composto por uma frente de BMX, duas rodas de kart revestidas por uma capa de PVC, propositalmente instalada para diminuir a aderência do equipamento no asfalto. O assento é um banco de plástico com formato de concha e a frenagem em geral é feita através das manobras e também com os pés, apesar de muitos modelos utilizarem conjunto de freio na roda da frente. Tradicionalmente, eles são utilizados na descida de ladeiras com curvas, local aonde os pilotos vão derrapando de um lado para o outro.

 

Fonte
Assessoria PMI

Artigos relacionados

Close