DestaqueMundo

Ativista Greta é eleita a ‘Pessoa do Ano’ pela Revista Time

Ela ganhou fama e inspirou movimentos estudantis na luta contra o aquecimento global e em defesa da natureza.

A ativista sueca Greta Thunberg, de 16 anos, foi eleita a ‘Pessoa do Ano’ pela revista “Time” nesta quarta-feira (11). Ela ganhou fama e inspirou movimentos estudantis na luta contra o aquecimento global e em defesa da natureza.

Em 2018, a estudante deixou de ir a aulas nas sextas para protestar contra contra o aquecimento global. O ato solitário ganhou apoio nas redes sociais e foi seguido pelo mundo sob o nome de “Fridays For Future”.

Ela já discursou eventos internacionais como a COP24, a Conferência do Clima da ONU, e o Fórum Econômico Mundial.

Ativista Greta Thunberg é escolhida a ‘Pessoa do Ano’ pela revista Time — Foto: Reprodução/ Revista Time

‘Pirralha’

Um dia antes de Greta ser nomeada “Pessoa do Ano”, o presidente Jair Bolsonaro criticou o espaço dado pela imprensa para a ativista, a quem chamou de “pirralha”.

Isso porque, no sábado (7), Greta compartilhou um vídeo sobre as mortes dos indígenas brasileiros e escreveu que esses povos são assassinados ao tentar proteger a floresta do desmatamento ilegal.

“A Greta já falou que os índios morreram porque estavam defendendo a Amazônia. É impressionante a imprensa dar espaço para uma pirralha dessa aí, pirralha”, declarou o presidente.

Horas depois da fala do presidente brasileiro, Greta mudou a sua apresentação no Twitter para “Pirralha”.

Trajetória de Greta em 7 tópicos

  1. Ela conta que aos 8 anos, na escola, ouviu falar pela 1ª vez sobre aquecimento global e disse ter ficado assustada com a falta de ação dos adultos.
  2. Ela conta que o temor em relação ao meio ambiente foi um dos fatores em um período depressivo, no qual deixou de ir à escola por um tempo.
  3. Aos 11 anos, ela foi diagnosticada com Asperger, um tipo de autismo. Ela diz que essa condição é chave em seu modo de agir e interpretar o mundo.
  4. Depois de pesquisar e convencer os pais sobre a crise climática, a estudante começou em 2018 a deixar de ir a aulas nas sextas para protestar.
  5. Ato solitário ganhou apoio nas redes sociais e foi seguido pelo mundo sob o nome de “Fridays For Future”.
  6. Greta já discursou eventos internacionais como a COP24, a Conferência do Clima da ONU, e o Fórum Econômico Mundial.

 

 

Via
G1

Artigos relacionados