Londrina

Atiradores do Tiro de Guerra participam de Oficina Educativa de Saúde

Jovens recebem informações sobre Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), como a Aids/HIV; Londrina regista maior incidência de casos positivos de HIV/Aids em pessoa do sexo masculino

Mais uma turma de atiradores do Tiro de Guerra vai participar da oficina de prevenção a Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), como a Aids/HIV. O curso está sendo promovido pelos profissionais do Centro de Testagem e Aconselhamento Dr. Bruno Piancastelli Filho (CTA) e a terceira turma participará nos dias 13, 14 e 15 deste mês, das 6 às 7h30, na sede o Tiro de Guerra.

O objetivo é alertar o público masculino jovem sobre os perigos das ISTs, as formas de prevenção, diagnóstico e tratamento dessas doenças. Isso porque os casos de HIV/AIDS em Londrina são predominantes em homens. De acordo com dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), da Secretaria Municipal de Saúde, de 2012 a 2018 foram registrados 1.323 casos de HIV/Aids em Londrina, dos quais 1.016 em homens e 307 em mulheres.

A faixa etária de maior incidência é dos 20 a 24 anos (475 pessoas); seguido por 35 a 44 anos (279); 15 a 24 anos (278); 45 a 54 anos (176); 55 a 64 anos (89); e 65 a mais (26). O enfermeiro do CTA, Edvilson Cristiano Lentine, contou que a oficina surgiu após a análise dos dados epidemiológicos do município e verificação de que os maiores índices de infecção do HIV estavam concentrados no público jovem. Segundo ele, a ideia é realizar a oficina para todos os 160 atiradores.

O curso já aconteceu em outros dois momentos, com a participação de cerca de 80 atiradores. “Os encontros foram muito positivos, muitos deles puderam entender melhor sobre o comportamento do HIV/Aids e sobre a importância do uso do preservativo para evitar as ISTs. Após o curso, muitos destes jovens fizeram o teste rápido que detecta o HIV, Sífilis e Hepatites B e C, no CTA”, contou.

Em Londrina, os exames para detecção destas infecções são feitos tanto no CTA, de segunda a quinta-feira, às 8 horas ou às 10 horas, na Alameda Manoel Ribas, 01, centro, quanto nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs). Não é necessário estar em jejum para realizar os exames, mas é preciso apresentar documento de identificação com foto.

Na capacitação, os jovens também recebem informações sobre a Profilaxia Pós-Exposição sexual (PEP), uma medida de prevenção que consiste no uso de medicamentos antirretrovirais até 72 horas após a relação sexual, para reduzir o risco de transmissão do HIV (vírus da Aids), indicada somente para situações excepcionais em que ocorrer falha, rompimento ou não uso da camisinha durante a relação sexual, e também em casos de violência sexual contra mulheres ou homens e acidente com material perfuro cortante em profissionais de saúde. A PEP é realizada segunda a sexta, das 7 às 15h30, no CTA e Ambulatório Aids, e após as 16 horas e aos sábados, domingos e feriados, no Hospital da Zona Norte.

Fonte
Fonte: Dayane Albuquerque - n.comlondrina

Artigos relacionados

Close