Atendendo a orientação do Ministério da Saúde, Ibiporã ampliou a vacinação contra o HPV para homens e mulheres, entre 15 e 26 anos. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, o Município possui uma boa quantidade de vacinas em estoque próximas ao vencimento.

Os interessados em se imunizar gratuitamente devem procurar as Unidades Básicas de Saúde munidos de cartão de vacinação e um documento de identidade até o dia 19 de setembro. “Colocamos esta data como limite para a vacinação porque a partir do dia 20 iniciamos mais uma etapa da campanha de vacinação contra a dengue, a qual atinge o mesmo público – adolescentes e jovens adultos entre 15 e 27 anos. O Ministério da Saúde desaconselha a administração desta vacina conjuntamente com outras”, explica a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Sebastiana Caetano Riechel.

Para a faixa etária de 15 a 26 anos, a orientação do Ministério da Saúde é o esquema vacinal com três doses, com intervalo de zero, dois e seis meses. As pessoas que tomarem a primeira dose neste período, excepcionalmente, terão as duas doses subsequentes garantidas no SUS.

Já a rotina de uso desta vacina no público-alvo, que é para meninos na faixa etária de 11 a 13 anos e meninas de 9 a 14 anos, deve ser mantida com duas doses, sendo aplicada com intervalo de seis meses entre elas. Também tem direito à vacina homens e mulheres transplantados e oncológicos em uso de quimioterapia e radioterapia. Além disso, crianças e jovens, de ambos os sexos, de 9 a 26 anos vivendo com HIV/aids, também podem se vacinar contra o HPV, sendo necessário apresentar prescrição médica.

Prevenção

O HPV é um vírus transmitido pelo contato direto com pele ou mucosas infectadas por meio de relação sexual. Também pode ser transmitido da mãe para filho no momento do parto.  Estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS) indicam que 290 milhões de mulheres no mundo são portadoras da doença, sendo 70% infectadas pelos tipos 16 e 18, que são de alto risco para o desenvolvimento do câncer do colo do útero. Estudos apontam que 265 mil mulheres, no mundo, morrem devido à doença. Atualmente, o câncer de colo de útero é o terceiro mais frequente e a quarta causa de morte por câncer em mulheres no Brasil.

A vacina disponível na rede pública de saúde é a quadrivalente, que confere proteção contra quatro subtipos de HPV (6; 11; 16 e 18).  Nas mulheres, a vacinação previne contra câncer do colo do útero, vulvar, vaginal e anal; lesões pré-cancerosas ou displásicas; verrugas genitais e infecções causadas pelo papilomavírus humano (HPV), contribuindo na redução da incidência e da mortalidade por esta enfermidade.

Nos homens, a vacina protege contra os cânceres de pênis, orofaringe e ânus. Além disso, previne mais de 98% das verrugas genitais, doença estigmatizante e de difícil tratamento. “É importante que os adolescentes e jovens procurem a UBS para se imunizar, pois a vacina é segura, reconhecida internacionalmente, e a forma mais eficiente de prevenção contra o HPV, pois estimula a produção de anticorpos específicos para os quatro tipos de HPV que circulam no país”, explica Sebastiana.

Entretanto, a imunização não substitui a realização do exame preventivo e nem o uso do preservativo nas relações sexuais. O Ministério da Saúde orienta que mulheres na faixa etária dos 25 aos 64 anos façam o exame preventivo, o Papanicolau, a cada três anos, após dois exames anuais consecutivos negativos.