Arte: Camilla Arisa/NCS/PMI

A Prefeitura Municipal de Ibiporã, por meio do setor de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, informa que, devido ao fim da Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe, o estoque restante da vacina foi liberado para toda a população do município, inclusive para aqueles que fazem parte dos grupos prioritários e que não se imunizaram antes. Aproximadamente 700 doses ainda estão disponíveis para aplicação em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de Ibiporã.

Com a campanha encerrada na última sexta-feira (22), 86,01% (9.606 de 11 mil pessoas) dos grupos prioritários do município de Ibiporã se imunizaram. A meta preconizada pelo Governo Federal era de 90% de vacinação do público-alvo. Apenas idosos e profissionais da saúde atingiram a meta da cobertura vacinal – 96,29% (5.786) e 93,43% (939), respectivamente. Crianças de seis meses a cinco anos registraram 66,73% (2.026) do percentual estabelecido; professores: 87,14% (515); gestantes: 64,77% (353); e mães no pós-parto: 88,89% (80). Três mil e seiscentos e cinquenta (3.650) portadores de doenças crônicas também se vacinaram em Ibiporã.

Para se imunizar gratuitamente, basta comparecer a uma UBS com documentos pessoais e carteira de vacinação, para facilitar os atendimentos e o registro da dose. A vacina é aplicada em dose única, exceto as crianças de seis meses a cinco anos incompletos, que são imunizadas em duas doses, com intervalo de 30 dias entre cada uma. No entanto, aquelas crianças que já receberam as duas doses em 2017, necessitarão tomar apenas dose única agora.

Conforme a Secretaria Municipal de Saúde, a vacina somente é contraindicada em caso de histórico de reação anafilática em doses anteriores e alergia grave relacionada ao ovo de galinha e seus derivados.  Em doenças agudas febris moderadas ou graves recomenda-se adiar a vacinação até a resolução do quadro com o intuito de não se atribuir à vacina as manifestações da doença. Quem tomou a vacina contra a dengue deve dar um intervalo de 30 dias para se imunizar contra a gripe.

De acordo com o Ministério da Saúde, a vacina contra a gripe é segura e reduz as complicações que podem produzir casos graves da doença, internações ou, até mesmo, óbitos. Ela protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no último ano no Hemisfério Sul, de acordo com determinação da Organização Mundial da Saúde (OMS), (A/H1N1; A/H3N2 e influenza B).

De Núcleo de Comunicação Social/PMI