Sábado (12) é “Dia D” de vacinação contra a gripe em Ibiporã. As Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município estarão abertas o dia todo exclusivamente para imunizar o público-alvo da campanha – pessoas com 60 anos ou mais, crianças de 6 meses a 4 anos de idade, gestantes, puérperas (mulheres em até 45 dias depois do parto), profissionais de saúde, indígenas, portadores de doenças crônicas (apresentar prescrição médica no ato da vacinação), população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e professores das instituições públicas e privadas.

As UBS da área central estarão abertas das 8 às 17 horas. Já as da zona urbana – Jardim John Kennedy e Taquara do Reino funcionarão das 8 às 16 horas.

Para se imunizar gratuitamente, basta comparecer a uma Unidade Básica de Saúde (UBS) com documentos pessoais e carteira de vacinação, para facilitar os atendimentos e o registro da dose. A vacina é aplicada em dose única para todos os grupos prioritários, exceto as crianças de 6 meses a 5 anos incompletos, que são imunizadas em duas doses, com intervalo de 30 dias entre cada uma. No entanto, aquelas crianças que já receberam as duas doses em 2017, necessitarão tomar apenas dose única agora.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a vacina somente é contraindicada em caso de histórico de reação anafilática em doses anteriores e alergia grave relacionada ao ovo de galinha e seus derivados.  Em doenças agudas febris moderadas ou graves recomenda-se adiar a vacinação até a resolução do quadro com o intuito de não se atribuir à vacina as manifestações da doença. Quem tomou a vacina contra a dengue deve dar um intervalo de 30 dias para se imunizar contra a gripe.

Números da campanha

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza começou no dia 23 de abril e segue até 1º de junho. Em Ibiporã, a meta é imunizar 14.671 pessoas. O governo federal preconiza a cobertura mínima de 90% de vacinação em todos os grupos prioritários estabelecidos na campanha.

De acordo com o Setor de Epidemiologia, o município já atingiu 44,33% da meta. O grupo dos idosos é o com maior cobertura vacinal até o momento – 56,81%. Crianças e gestantes são os com menor – 24,64 e 31,19% – respectivamente.

A escolha dos grupos prioritários segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Essa definição também é respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente os vírus da gripe. São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias.

De acordo com a enfermeira da Vigilância Epidemiológica, Vanessa Cristina Luquini, a vacina contra a gripe é segura e reduz as complicações que podem produzir casos graves da doença, internações ou, até mesmo, óbitos. Ela protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no último ano no Hemisfério Sul, de acordo com determinação da OMS, (A/H1N1; A/H3N2 e influenza B). “É importante que as pessoas se vacinem o quanto antes para evitar gripe e seus possíveis agravamentos, visto que a vacina precisa de 15 dias para garantir a proteção”, orienta Vanessa.

Medidas de Proteção

A transmissão dos vírus influenza acontece por meio do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz). À população em geral, o Ministério da Saúde orienta a adoção de cuidados simples como medida de prevenção para evitar a doença, como: lavar as mãos várias vezes ao dia; cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar; evitar tocar o rosto e não compartilhar objetos de uso pessoal.

Em caso de síndrome gripal, deve-se procurar um serviço de saúde o mais rápido possível. A vacina contra a gripe não é capaz de eliminar a doença ou impedir a circulação do vírus, por isso, as medidas de prevenção são muito importantes.

Também é importante lembrar que, mesmo pessoas vacinadas, ao apresentarem os sintomas da gripe – especialmente se são integrantes de grupos mais vulneráveis às complicações – devem procurar, imediatamente, o médico. Os sintomas da gripe são: febre, tosse ou dor na garganta, além de outros, como dor de cabeça, dor muscular e nas articulações. Já o agravamento pode ser identificado por falta de ar, febre por mais de três dias, piora de sintomas gastrointestinais, dor muscular intensa e prostração.

Serviço

Dia D – Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe

Data: 12 de maio (sábado)

Local: Todas as UBSs

Horário: zona urbana – 8 às 17h.  Zona rural (John Kennedy e Taquara): 8 às 16h

Público-alvo: pessoas com mais de 60 anos, crianças de seis meses até 4 anos 11 meses e 29 dias, gestantes, puérperas  – mulheres no período até 45 dias após o parto-, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, indígenas, trabalhadores da saúde, portadores de doenças crônicas não transmissíveis ou em condições clínicas especiais, que possuam prescrição médica,  trabalhadores e detentos do sistema prisional e professores do ensino regular e superior de escolas públicas e privadas, que estejam em atividade

O que levar: Carteira de Vacinação e documento de identificação com foto; solicitação médica que conste a doença de base, para os doentes crônicos; declaração da instituição que é vinculado e documento de identificação com foto, para professores; o registro de nascimento ou declaração de nascidos vivos, para as puérperas.