Paraná soma quatro mortes por gripe desde o início de 2018, duas delas causadas pelo vírus H1N1. A última morte ocorreu na terça-feira (10) à noite, segundo a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

O paciente, de 57 anos, morava em Ampére, no sudoeste do Paraná, e estava internado em Francisco Beltrão, na mesma região. A contaminação foi confirmada pelo Laboratório Central do Estado (Lacen) no dia 3.

De acordo com o último boletim da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), divulgado na quarta-feira (11) com dados até segunda (9), dois casos de morte por gripe sazonal (H3) foram registrados em Foz do Iguaçu, no oeste, e em Cafezal do Sul, no noroeste do estado.

A outra morte por gripe A (H1N1) foi a de um homem de 26 anos morador de Santa Izabel do Oeste, em março.

Em Ampére, duas enfermeiras que tiveram contato com o paciente que estava com o vírus e ficou internado até ser transferido para Francisco Beltrão estão com suspeita da doença. Elas foram afastadas do trabalho e estão recebendo tratamento específico.

No hospital, algumas medidas preventivas foram reforçadas. Foram instalados mais recipientes com álcool para a higienização das mãos, as visitas aos pacientes foram restritas a 30 minutos e limitadas a duas pessoas e todos que circulam pelo local estão tendo de usar máscaras.

 

Cuidados

Segundo o responsável pelo Setor de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde de Foz do Iguaçu, Roberto Doldan, o país vive em alerta contra a gripe A (H1N1) desde a pandemia de 2009.

Doldan lembra ainda que a doença é sazonal e os casos ocorrem com maior frequência no inverno, época em que a prevenção precisa ser redobrada.

Além da vacina, outros cuidados podem ser tomados para se impedir a contaminação por qualquer um dos vírus da gripe, aponta, como lavar as mãos com água e sabão, manter os ambientes arejados, ingerir bastante água, evitar lugares com aglomeração de pessoas, não compartilhar objetos de uso pessoal e manter uma alimentação balanceada.

Campanha de vacinação

A campanha nacional de vacinação será realizada de 23 de abril a 1º de junho.

No Paraná, a meta é imunizar ao menos 2,88 milhões de pessoas, o que corresponde a 90% dos 3,2 milhões paranaenses que se enquadram nos grupos de risco.

Saiba quem tem prioridade em tomar a dose da vacina contra a gripe:

  • crianças com 6 meses a 4 anos de idade
  • idosos com 60 anos ou mais
  • pessoas com doenças crônicas como diabetes, hipertensão, câncer, asma, bronquite e doenças degenerativas do sistema nervoso central
  • gestantes, independente do tempo de gravidez
  • mulheres em pós-parto, até 45 dias depois do nascimento do bebê
  • profissionais de saúde da rede pública ou privada
  • professores de escolas públicas ou privadas
  • indígenas
  • população carcerária e funcionários do sistema prisional
  • adolescentes e jovens entre com 12 e 21 anos sob medidas socioeducativas

A vacina é contraindicada apenas para quem apresentou reação anafilática em doses anteriores ou tenha alergia grave o ovo de galinha e derivados.

 

Com informações do G1