O Ministério Público (MP) pediu à Justiça o bloqueio de R$ 1,6 milhões do prefeito Marcelo Belinati, alvo de ação de improbidade administrativa por conta de irregularidades na cobrança do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) do condomínio onde mora.

Segundo o MP, o bloqueio é necessário para garantir que o chefe do Executivo Municipal tenha recursos para pagar multas, em caso de condenação.

O Imposto em Londrina foi reajustado neste ano devido à revisão da Planta Genérica de Valores (PGV), promovida pela Prefeitura e aprovada pela Câmara Municipal em 2017.

Desde a chegada dos boletos às residências, a população relatou valores altos do imposto, considerados pelos moradores abusivos, o que motivou, inclusive, o protocolo no Legislativo de um projeto de iniciativa popular pedindo a revogação da lei que alterou a PGV.

Já no condimínio Village Premium, onde mora Belinati, os valores estavam bem abaixo do que deveriam e não havia, inclusive, a cobrança da taxa do lixo.

Apesar de sindicância da Prefeitura ter isentado o prefeito de culpa, o MP entende que Belinati omitiu as irregularidades e deve ser penalizado.

Fonte: Tarobá News