O prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, concedeu uma coletiva na manhã desta sexta-feira (9) para falar sobre a polêmica do IPTU. O Ministério Público investiga se o prefeito cometeu improbidade administrativa ao se beneficiar com a situação do próprio condomínio onde mora, que ainda não tem terrenos desmembrados.

Ele mora em um condomínio horizontal, na zona sul da cidade, considerado de alto padrão. Há 13 anos, era uma chácara. E até hoje, o registro está irregular na Prefeitura. Os terrenos não foram desmembrados e muitas casas não têm registro.

O promotor Renato de Lima Castro, coordenador do Grupo Especializado na Proteção ao Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa (Gepátria), afirmou que até agora as investigações indicaram situações incongruentes e incompatíveis com a probidade administrativa. Segundo ele, há repetidos “erros” que favorecem a família Belinati, como por exemplo a ausência da cobrança da taxa de lixo para todo o condomínio.

Diante dessa situação, Belinati nega quaisquer favorecimentos “Isso que está acontecendo não é condizente com a história da minha vida. No momento em que soube dessa situação, busquei entender os motivos e as devidas correções. Jamais faria isso.”