O Palácio Belvedere, prédio histórico no bairro São Francisco, na região central de Curitiba, foi parcialmente destruído por um incêndio na noite desta quarta-feira (7). O Corpo de Bombeiros foi chamado por volta das 22h. Ninguém ficou ferido.

O prédio foi construído em 1915 e é tombado pelo Patrimônio Histórico do Paraná, além de ser uma Unidade Especial de Interesse de Preservação (Uiep). A construção estava abandonada e depredada.

Em junho, o prefeito Rafael Greca (PMN) assinou o decreto de transferência de R$ 1,073 milhão para o restauro do palácio, mas as obras ainda não haviam começado. A previsão era de conclusão em até 18 meses O prédio seria a nova sede da Academia Paranaense de Letras (APL).

No Facebook, o prefeito lamentou o incêndio e disse que o prédio será reconstruído. “Incêndio apagado. Suspeita dos bombeiros e Defesa Social de que foi criminoso. Bombeiros chegaram em 7 minutos. Vamos restaurar”, informou nesta manhã (8).

Em nota, a prefeitura de Curitiba disse que as investigações sobre as causas do incêndio estão sendo acompanhadas. O Corpo de Bombeiros e Polícia Civil trabalham com a possibilidade de um ato criminoso.

 

Veja a nota na íntegra:

A Prefeitura de Curitiba está acompanhando as investigações do incêndio que atingiu, na noite de quarta-feira, 6, o Palácio Belvedere, no São Francisco. O Corpo de Bombeiros e a Polícia Civil estão investigando a causa do incêndio, com suspeita de ter sido criminoso.

O imóvel, símbolo da arquitetura art noveau, estava lacrado e passaria por reformas para abrigar o Observatório da Cultura Paranaense, da Academia Paranaense de Letras e um café escola do Sesc Paraná.

A Prefeitura de Curitiba autorizou neste ano o uso do potencial construtivo, no valor de R$ 1,073 milhão, para a reforma do imóvel. O projeto do restauro do Belvedere foi desenvolvido por arquitetos do Sesc em parceria com o Ippuc. O Palácio Belvedere, na Praça João Cândido, é um prédio tombado pelo Patrimônio Histórico do Estado no ano de 1966.

Leia a publicação do prefeito Rafael Greca na íntegra:

Lamentável incêndio no Belvedere do Alto de São Francisco me entristece e determina a recuperar o bem danificado. O prédio construído pelo grande prefeito Cândido de Abreu em 1915 tem recursos de Potencial Construtivo liberados por mim – no valor de R$ 1.140.000,00 – já depositados em conta para criterioso restauro.

Repetidas vezes este ano me ocupei do assunto travado por odiosa burocracia.

O projeto do IPPUC só não foi licitado porque aguarda liberação da Divisão do Patrimônio Histórico do Paraná.As chamas não nos derrotarão. Nem a burocracia. Vamos aguardar perícia dos bombeiros e assim que a burocracia permita nós começaremos a obra.

Curitiba terá de volta o Belvedere revitalizado de alguma maneira.

 

Palácio

Exemplar arquitetônico desenhado com linhas art nouveau, o prédio foi construído em 1915 pelo então prefeito Cândido de Abreu para ser um mirante no então ponto mais alto urbanizado da capital. A edificação teve outros usos, tendo sido, nos anos 20, sede da primeira rádio do Paraná, a Rádio Clube Paranaense.

Na década de 30 passou a ser Observatório Astronômico da antiga Faculdade de Engenharia do Paraná e, em 1962, sede da União Cívica Feminina Paranaense.

Anos mais tarde, em 2008, o prédio foi usado como posto da Polícia Militar e, entre 2012 e 2014, transformado no primeiro Centro Estadual de Defesa dos Direitos da População em Situação de Rua.