Ibiporã sediou pela primeira vez uma etapa do Campeonato Paranaense de Drift Trike. A 3ª Etapa do Campeonato Paranaense de Drift Trike ocorre no último domingo (24) na Rua das Margaridas, S/N, no Jardim Beltrão II.

O evento, promovido pela Liga Paranaense de Drift Trike, contou com total apoio da Prefeitura Municipal de Ibiporã, por meio da Secretaria de Esportes, Recreação e Lazer (Serla), e reuniu 64 pilotos do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e São Paulo.

Os participantes disputaram em quatro categorias – Mirim (0 a 10 anos), Infantil (10 a 17 anos), Feminino e Pro (acima de 17 anos).
Um bom público prestigiou a novidade, e viu os pilotos fazerem manobras radicais ao descerem as ladeiras em alta velocidade.

Todos os participantes ganharam medalhas de participação. Os vencedores de cada categoria também foram premiados com troféus e medalhas. Os primeiro colocados da categoria Mirim (Eduardo) e Pro (Felipe Faria – Indião) também ganharam um quadro para drift trike.

Segundo o secretário da Liga Paranaense, Alessandro Espinarde, cerca de 400 pessoas prestigiaram a prova. “Os competidores consideraram a pista rápida e elogiaram a estrutura e organização do evento”, ressaltou Espinarde.

Conforme a secretária de Esportes, Cláudia Guandalini, o Município apoiou uma das etapas do campeonato para divulgar e incentivar a prática de uma modalidade ainda pouco conhecida pela população, além de movimentar a economia local. “Em 2018 Ibiporã deve sediar novamente uma das etapas do campeonato paranaense e uma das fases do nacional”, adiantou Claúdia.

A 4ª etapa do Campeonato Paranaense de Drift Trike ocorrerá nos dias 11 e 12 de novembro, em Curitiba.

Drift Trike

Após surgir na Nova Zelândia em 2008 e se popularizar nos Estados Unidos, o Drift Trike tem no Brasil um dos países como mais praticantes atualmente no mundo. As competições oficiais no país começaram em 2013 e hoje se espalham por vários estados.

O carrinho é composto por uma frente de BMX, duas rodas de kart revestidas por uma capa de PVC, propositalmente instalada para diminuir a aderência do equipamento no asfalto. O assento é um banco de plástico com formato de concha e a frenagem em geral é feita através das manobras e também com os pés, apesar de muitos modelos utilizarem conjunto de freio na roda da frente. Tradicionalmente, eles são utilizados na descida de ladeiras com curvas, local aonde os pilotos vão derrapando de um lado para o outro.